quarta-feira, 1 de março de 2017

Perfumes Bíblicos


Entre os Hebreus e outros orientais era vulgar o uso de perfumes.
Moisés fala da arte do perfumista no Egito, e refere-se à composição de dois perfumes: um era para ser oferecido sobre o altar de ouro, outro para ungir o sumo sacerdote e os vasos sagrados (Êx 30.23,25,34). Os perfumes eram também usados na embalsamação, sendo compostos de mirra, aloés, e outras essências fortes e adstringentes para evitar a infecção. Muitas pessoas também se perfumavam (Et 2.12).

O esposo nos Cantares de Salomão recomenda o perfume da sua esposa (Ct 3.6), e é saudado com termos semelhantes. De uma maneira especial ele indica o nardo, o cinamomo, a mirra e o aloés, isto prova que tanto homens, como mulheres, faziam uso destes aromas, e isso ainda hoje se pratica naqueles países, onde o calor e a ausência da água quase que obrigam a fazer uso das essências fortes e ativas (Et 2.12 – Dn 10.3).

Os perfumes eram preparados na forma de líquidos, de pomadas, e de pós. E também de um modo concentrado para diluição. Deve-se observar que entre os orientais, o sentido do olfato é muito mais penetrantemente desenvolvido do que entre os europeus. Diz-se que os árabes muitas vezes mandam passar maçãs em volta da mesa do festim, não para serem comidas, mas com a finalidade de cada convidado gozar do seu bom aroma.

Nardo
“Estando ele em Betânia, reclinado a mesa, em casa de Simão, p leproso, vejo uma mulher trazendo o vaso de alabastro com preciosíssimo perfume de nardo puro; e, quebrando o alabastro, derramou o balsamo sobre a cabeça de Jesus.” (Marcos 14.3).

Mirra
“entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra.” (Matheus 2.11).

Aloés
“Todas as suas vestes recendem a mirra, aloés e cássia; de palácios de marfim ressoam instrumentos de cordas que te alegram.” (Salmo 45.8).

Canela
“existe nardo e açafrão, canela e jasmim-azul e todas as espécies de incenso. Há também mirra e aloés e outras plantas perfumosas.” (Cânticos dos Cânticos 4.14).

Rosa de Sarom
“Eu sou a Rosa de Sarom, lírio dos vales.” (Cânticos dos Cânticos 2.1).

Cássia
“e de cássia quinhentos siclos, segundo o ciclo do santuário, e de azeite de oliveira um him.” (Êxodo 30.25).

Hissopo
“Purifica-me com hissopo e ficarei limpo! Lava-me e ficarei mais branco que a neve!” (Salmos 51:9).

Gálbano e Olíbano
O Senhor disse a Moisés: “Arranja essências aromáticas: resina, âmbar, gálbano, substâncias aromáticas e olíbano puro em partes iguais. Prepararás um incenso perfumado, composto segundo a arte da perfumaria, bem dosado, puro e santo.” (Êxodo 30:35:36).

Com base em referências bíblicas e descobertas arqueológicas, podemos ter uma ideia de como os perfumes eram usados nos tempos bíblicos. Em vez de condenar o uso de perfumes e de outros adornos, a Bíblia enfatiza que eles devem ser usados com modéstia e bom juízo. (1 Timóteo 2:9).

2 comentários:

  1. Muito Bom aprender mais, acerca das coisas da bíblia!
    Muito bom esse blog, que Deus abençoe!!!

    ResponderExcluir