Estudos Bíblicos





BIBLIOLOGIA

Não podemos nos esquecer jamais, de que a bíblia é o Livro dos livros. A verdade de Deus escrita. O mapa do cristão, rumo aos céus. O maior tesouro de conhecimentos do mundo.
E o principal:
“A Bíblia não contém a palavra de Deus, ela é a Palavra de Deus! ”
Jesus disse em Mateus 24:35: “Os céus e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar”.
O pastor Claudionor de Andrade citando o grande teólogo Wayne Gruden, define a importância das escrituras assim:
A bíblia contém todas as palavras divinas que Deus quis dar ao seu povo em cada estágio da história da redenção e que hoje contém todas as palavras de Deus que precisamos para a salvação, para que, de maneira perfeita, nele possamos confiar e a ele obedecer.
(Andrade, Claudionor de. Teologia Sistemática Pentecostal, página 44, Rio de Janeiro, CPAD).
E de maneira brilhante o saudoso teólogo brasileiro Raimundo de Oliveira diz:
A existência das escrituras é a prova mais do que plausível dos esforços de Deus no sentido de aproximar o homem de seu meigo coração. O testemunho milenar das escrituras é que “Deus de dá a conhecer”.
A nossa crença na bondade de Deus há de nos conduzir, necessariamente, à compreensão de que através da sua palavra, Ele se revela pessoalmente àqueles que Ele criou.
Deus fez o homem capaz e desejoso de conhecer a realidade das coisas. Será que Ele ocultaria uma revelação que satisfizesse esse anelo? Pelo contrário. Diz o profeta de Deus: “conheçamos, prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva será a sua saída; e ele nos virá como a chuva, como a chuva serôdia que rega a terra”. A revelação de Deus é possível, é progressiva, é certa.
(Oliveira, Raimundo de. As Grandes Doutrinas da Bíblia, página 16, Rio de janeiro, CPAD).
Deus se revela a nós por intermédio de sua santíssima Palavra, a Bíblia, tendo em vista nossa salvação por meio da fé nela como a Palavra de Deus. Por essa razão todo ser humano nasce com o grande anseio de conhecer, e cada um busca esse conhecimento de uma maneira. Nós, servos e servas de Deus, buscamos na Bíblia sagrada.
Nesta apostila, iremos estudar a história da Bíblia, sua formação, sua inspiração, suas línguas originais, o cânon e suas respectivas traduções, baseados principalmente nas obras de dois dos autores que mais admiro, um brasileiro, o pastor Antonio Gilberto, e outro americano, o doutor Norman Geisler, as quais eu recomendo que todos adquiram.
Convido-te então, para mergulhar nesse oceano de conhecimentos, para glória de Deus. Vamos?!

Capitulo 1- INTRODUÇÃO À BÍBLIA

Etimologia do termo “Bíblia”
Bem, em primeiro lugar é necessário analisarmos a origem desse nome tão conhecido e utilizado por todos nós diariamente, então vejamos:
A etimologia da palavra bíblia é muito interessante, por nos remeter a Fenícia, tendo em vista que uma de suas cidades mais importantes era chamada exatamente de “biblos” (atual Gebal, cerca de quarenta quilômetros ao norte de Beirute). Biblos foi uma cidade muito conhecida na época por ser uma cidade comercial, onde se vendia de tudo um pouco, madeiras, perfumes, tecidos, couros e papiro. E é pelo fato de o papiro ser um dos produtos mais procurados no comércio, que aos poucos foi sendo chamada de biblos, em homenagem e referência a cidade com o mesmo nome.
Um rolo de papiro de tamanho pequeno era chamado "biblion" e vários destes eram uma "bíblia". Portanto, literalmente, a palavra bíblia quer dizer "coleção de livros pequenos". Com a invenção do papel, desapareceram os rolos, e a palavra biblos deu origem a "livro", como se vê em biblioteca, bibliografia, bibliófilo, etc.
Aproximadamente no ano 400 é que os escritores cristãos gregos começaram a chamar a Bíblia de “Os livros”, no plural indicando uma série de escritos da revelação divina. Mais tarde, no século XIII, o plural foi mudado para o singular, concordando com a concepção de que a Bíblia é uma expressão vocal de Deus.
A Bíblia também é conhecida por Escrituras, que é um termo usado no N.T. para os livros sagrados do A.T., que eram considerados inspirados por Deus. (2ª Tm. 3.16; Rm. 3.2). Este termo também é usado no N.T. com referência a outras porções do N.T. (2ª Pe. 3.16). A Bíblia também é conhecida por Palavra de Deus, este termo é usado em relação a ambos os testamentos em sua forma escrita (Mt 15.6; Jo. 10.35; Hb. 4.12).
Ora, se a Bíblia é a palavra de Deus escrita, então é de extrema importância para nós o estudo e o exame de todos os escritos que nela estão contidos.
Nas palavras do teólogo Antonio Gilberto no livro “A Bíblia através dos Séculos”, pág.9:
“A necessidade desse estudo é que, sendo a Bíblia um livro divino, veio a nós por canais humanos, tornando-se, assim, divino-humana, como também o é a Palavra Viva - Cristo -, que se tornou também divino-humano (Jo 1.1; Ap 19.13) ”. Pela Bíblia, Deus fala em linguagem humana, para que o homem possa entendê-lo. Por essa razão, a Bíblia faz alusão a tudo que é terreno e humano. Ela menciona países, montanhas, rios, desertos, mares, climas, solos, estradas, plantas, produtos, minérios, comércio, dinheiro, línguas, raças, usos, costumes, culturas, etc. Isto é, Deus, para fazer-se compreender, vestiu a Bíblia da nossa linguagem, bem como do nosso modo de pensar. Se Deus usasse sua linguagem, ninguém o entenderia. Ele, para revelar-se ao homem, adaptou a Bíblia ao modo humano de perceber as coisas. Destarte, o autor da Bíblia é Deus, mas os escritores foram homens. Na linguagem figurada dos Salmos e das diversas outras partes da Bíblia, Deus mesmo é descrito e age como se fosse homem. A Bíblia chega a esse ponto para que o homem compreenda melhor o que Deus lhe quer dizer. Isto também explica muitas dificuldades e aparentes contradições do texto bíblico.
Inúmeros fatores fazem da Bíblia um livro fantástico e maravilhoso. Sua formação é um destes fatores, cerca de 40 escritores em aproximadamente 1500 anos escreveram sob orientação do próprio Deus.
A Bíblia divide-se em duas partes principais: ANTIGO e NOVO TESTAMENTO, tendo ao todo 66 livros: sendo 39 no AT e 27 no NT. Estes 66 livros foram escritos num período de 15 séculos e tiveram cerca de 40 escritores. Aqui está um dos milagres da Bíblia.
Esses escritores pertenceram às mais variadas profissões e atividades, viveram e escreveram em países, regiões e continentes distantes uns dos outros, em épocas e condições diversas, entretanto, seus escritos formam uma harmonia perfeita. Isto prova que um só os dirigia no registro da revelação divina: Deus.

A divisão dos testamentos

A palavra testamento vem do termo grego "diatheke", e significa: a) Aliança ou concerto, e b) Testamento, isto é, um documento contendo a última vontade de alguém quanto à distribuição de seus bens, após sua morte. Esta é a palavra empregada no Novo Testamento, como por exemplo em Lucas 22.20. No Antigo Testamento, a palavra usada é "berith" que significa apenas concerto. O duplo sentido do termo grego nos mostra que a morte do testador (Cristo) ratificou ou selou a Nova Aliança, garantindo-nos toda a herança com Cristo (Rm 8.17; Hb 9.15-17).

O Antigo Testamento

Tem 39 livros, e foi escrito originalmente em hebraico, com exceção de pequenos trechos que o foram em aramaico. O aramaico foi a língua que Israel trouxe do seu exílio babilônico. Há também algumas palavras persas. Seus 39 livros estão classificados em 4 grupos, conforme os assuntos a que pertencem: LEI, HISTÓRIA, POESIA, PROFECIA. O grupo ou classe poesia também é conhecido por devocional.

Os livros por cada grupo.
a. LEI. São 5 livros: Gênesis a Deuteronômio.
b. HISTÓRIA. São 12 livros: de Josué a Ester.
c. POESIA. São 5 livros: de Jó a Cantares de Salomão
d. PROFECIA. São 17 livros: de Isaías a Malaquias. Estão subdivididos em:
• Profetas Maiores: Isaías a Daniel (5 livros).
• Profetas Menores: Oséias a Malaquias (12 livros). A lei (Pentateuco) – 5 lvros
Poesia – 5 livros
1.
Gênesis
1.
2.
Êxodo
2.
Salmos
3.
Levítico
3.
Provérbios
4.
Números
4.
Eclesiastes
5.
Deuteronômio
5.
O Cântico dos Cânticos
História – 12 livros
Profetas – 17 livros
1.
Josué
A. Maiores
B. Menores
2.
Juízes
3.
Rute
1.
Isaías
1.
Oséias
4.
1Samuel
2.
Jeremias
2.
Joel
5.
2Samuel
3.
Lamentações
3. Amós
6.
1Reis
4.
Ezequiel
4.
Obadias
7.
2Reis
5.
Daniel
5.
Jonas
8.
1Crônicas
6.
Miquéias
9.
2Crônicas
7.
Naum
10. Esdras
8.
Habacuque
11. Neemias
9.
Sofonias
12. Ester
10. Ageu
11. Zacarias
12. Malaquias









































































Nenhum comentário:

Postar um comentário